Infecção do trato urinário é tema de pesquisa publicada por egressos da UniFG

Publicado em 11 de setembro de 2019.


A infecção do trato urinário (ITU) é classificada como uma das patologias mais frequentes provenientes de bactérias, e é caracterizada pela proliferação de microrganismos no trato urinário. Este tema foi objeto de estudo de pesquisadores ligados ao Centro Universitário UniFG, dos cursos de Biomedicina e Farmácia. O estudo, orientado pela Profa. Ana Karla Araújo, descreveu a prevalência e o perfil de sensibilidade dos uropatógenos em pacientes de um Laboratório de Referência do semiárido baiano.

A pesquisa foi realizada a partir de um estudo transversal, documental, com abordagem quantitativa, analisando resultados de 751 uroculturas, no período de 2012 a junho de 2017. Foram obtidos 8,9% de uroculturas positivas, e 91,1% negativas e/ou contaminadas. Os resultados apontaram que as mulheres são mais acometidas de infecções do trato urinário, representando 88,2% das amostras coletadas e o uropatógeno mais prevalente foi a Escherichia coli, com 52,2%, seguida por Streptococcus sp com 16,4%.

Segundo a pesquisa, nos casos analisados, as bactérias foram sensíveis à Nitrofurantoína em 51,5%, e Ciprofloxacino (42,6%), sendo resistentes em maiores índices à Ampicilina (52,9%). Concluiu-se que, uma avaliação do perfil de susceptibilidade dos microrganismos é primordial no combate à resistência bacteriana, pois irá auxiliar no tratamento e na escolha do antibiótico adequado.

Os autores da pesquisa foram os egressos da UniFG Elita Coutinho e Pedro Batista (Farmácia), e o estudante de Biomedicina,  Álisson Santos. O estudo foi publicado na revista Uningá, especializada na área da saúde. O artigo teve por título “Infecções do trato urinário: etiologia e perfil de sensibilidade antimicrobiana em pacientes não hospitalizados”. O artigo completo pode ser lido no site da revista.