background

NUPEX

Iniciação Científica


O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica do Centro Universitário FG – UNIFG (PIBIC-UNIFG) foi criado para apoiar grupos de pesquisa de caráter multiusuário do UNIFG, mediante a formalização da Iniciação Científica Voluntária, bem como a concessão de Bolsa de Apoio Científico para estudantes que ingressarem na pesquisa, auxiliando na formação de profissionais técnicos especializados, engajados no desenvolvimento de atividades técnicas desses grupos de pesquisa.

A cota de bolsas é disponibilizada pela Mantenedora do UNIFG, CNPq e de outras agências de fomento, anualmente, objetivando apoiar projetos dos professores pesquisadores e orientadores interessados em participar do Programa. Os estudantes tornam-se bolsistas a partir da indicação dos orientadores e/ou seleção sob normas estabelecidas pela IES em edital específico.

São objetivos específicos do Programa:

– Despertar vocação científica e incentivar novos talentos entre estudantes de graduação;

– Contribuir para a formação científica de recursos humanos que se dedicarão a qualquer atividade profissional;

– Colaborar para a formação de recursos humanos para a pesquisa;

– Estimular pesquisadores produtivos a envolverem alunos de graduação nas atividades científica, tecnológica e artístico-cultural;

– Proporcionar ao bolsista, orientado por pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos de pesquisa;

– Estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa;

– Ampliar o acesso e a integração do estudante à cultura científica.

No âmbito do Observatório UniFG do semiárido nordestino, a instituição UniFG, desde de agosto de 2014, destina bolsas de iniciação científica para os acadêmicos desenvolverem pesquisas aplicadas, seminários internos, desenvolvimento das relações interpessoais, entre outras atividades.

Parceria com o CNPq amplia investimentos em pesquisa –  A parceria com a CNPq insere, definitivamente, a UniFG no cenário nacional da pesquisa científica, um importante passo na consolidação do fomento à pesquisa no âmbito do semiárido nordestino. Após a aprovação para criação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) e de uma série de outras ações que incentivam a prática da pesquisa científica, a então Faculdade Guanambi (FG), foi habilitada a cadastrar Grupos de Pesquisa no Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq), órgão público, ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações.

A inclusão da FG no Diretório de Instituições do CNPq configurou-se após a instituição cumprir os requisitos exigidos pelo Conselho, como por exemplo, possuir curso de pós-graduação stricto sensu (mestrado ou doutorado). A partir de então, a Faculdade Guanambi foi incluída no Diretório dos Grupos de Pesquisa no Brasil (DGP), o que a coloca em destaque no cenário das instituições de ensino superior.

O DGP constitui-se no inventário dos grupos de pesquisa científica e tecnológica em atividade no país. As informações nele contidas dizem respeito aos recursos humanos constituintes dos grupos, às linhas de pesquisa em andamento, às especialidades do conhecimento, aos setores de aplicação envolvidos, à produção científica, tecnológica e artística e às parcerias estabelecidas.

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é uma  agência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e tem como principais atribuições fomentar a pesquisa científica e tecnológica e incentivar a formação de pesquisadores brasileiros. Criado em 1951, desempenha papel primordial na formulação e condução das políticas de ciência, tecnologia e inovação. Sua atuação contribui para o desenvolvimento nacional e o reconhecimento das instituições de pesquisa e pesquisadores brasileiros pela comunidade científica internacional.

A UniFG também possui credenciamento de bolsas de IC da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB), principais agências de fomento à pesquisa do Brasil.