UniFG realiza a I Conferência Regional de Saúde da Mulher

Publicado em 7 de novembro de 2018.


Com o tema “Atenção à saúde de mulheres e suas vulnerabilidades”, o Centro Universitário UniFG promoveu, durante os dias 7 e 8 de novembro de 2018, a I Conferência Regional de Saúde da Mulher. O evento foi organizado pelos colegiados dos cursos de Enfermagem e de Estética e Cosmética. A Conferência teve como objetivo discutir questões pertinentes aos fatores que vulnerabilizam as mulheres em seus contextos sociais.

 Nos dois dias do evento, um espaço de debates sobre o tema foi construído, no qual, a comunidade acadêmica presente pôde compreender melhor sobre a questão da vulnerabilidade feminina.

O primeiro dia de conferência contou com a realização de duas palestras e uma mesa redonda, numa discussão sobre a situação de mulheres que fazem uso abusivo do álcool e sobre o as ameaças à saúde nos exageros do cuidado com a aparência. No segundo dia, foram realizados minicursos e apresentação de trabalhos. Ao final das atividades, foi realizada a conferência de encerramento com a temática “Mulheres em situação de aborto e de abortamento”.

Mediadora da palestra “Vulnerabilidade de Mulheres Trans e Travestis”, a psicóloga Carle Porcino, que é uma mulher transexual, abordou a importância dos profissionais de saúde em manter o respeito às expressões e identidades trans e travestis.  “Meu papel hoje aqui foi o de dizer que essas identidades não podem ser patologizadas. É preciso que os profissionais de saúde, ao atenderem pacientes LGBTs e outras possibilidades de expressão, como pessoas que se afirmam como não binárias, sejam acolhidas em sua integralidade e que o atendimento não seja dispensada a nossa identidade de gênero ou a orientação sexual, por exemplo”, explica Porcino.

Discente do 4º semestre do curso de Fisioterapia, Keila Guimarães percebe a importância do evento para a sua formação acadêmica. “Quando eu soube da realização dessa conferência, eu fiquei logo interessada em participar, porque ela abrange exatamente a área em que eu quero me inserir, que é a saúde da mulher. Foi uma oportunidade enriquecedora para adquirir novos conhecimentos”, disse Guimarães.